quinta-feira, 16 de junho de 2016

POESIA

ROMA -I -

Se misturo força e covardia
é porque me nego a dizer
aquilo que já sabes
mas não te deixas convencer

se nos tornamos amigos
submissos a todas as suas variantes
o que fazer quando te vejo
e o amor se precipita?

Se teus atos
tuas (in)confidências
tuas mãos
sobreviveram aos meus nunca mais,
aos meus jamais?

se tua falta virou abismo onde mergulho de cabeça
procurando nesse crepúsculo tua presença
mas o que encontro é só carência
mais carência

por que inventaste tua ausência?

agora meu amor é teimosia,
chega a ser valentia
quando o transformo em poesia

Mas acima de tudo, meu amor é
pura e simplesmente
 tua cria.

Karla Julia

Marcadores: