domingo, 30 de setembro de 2018

POESIA

MANHÃ DE PRIMAVERA E DIÁLOGO DE POETAS

Auzeh Auzerina Freitas e Karla Julia

Auzeh Auzerina Freitas
Temos em comum a poesia e nossas mães.
A minha bordava labirinto. Um dia escrevi assim:

" Minha mãe bordava, pano preso no bastidor
 e eu tecia meus sonhos para ser a poeta que sou."
Auzêh Freitas 

Karla Julia
 Que bonito! Somos poetas de suturas alinhavos de saudades!
Quando minha mãe faleceu uma amiga tirou a foto da máquina de costura dela que eu tenho .Meu escritório na parte de cima e escrevi :

" Mãe
costuro o pranto
dentro do meu coração
com as linhas da saudade."

Karla Julia


Marcadores: ,

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

FLORA na GALLERIA DEGLI UFFIZI em FLORENÇA


                 

fotos: Karla Julia

Marcadores: ,

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

POESIA


" e se entregaram devagar
             cintilando seda
       na madrugada enevoada"

         
           Karla Julia
                  fotos
         versos do poema
         Amanhecimento


Marcadores:

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

DICA DE LIVRO

       A CASA DE CHÁ
         de Ellis Avery

Livro instigante, mágico, como o próprio ritual do chá.
Trata da história de uma menina francesa que é criada no Japão do sé. XIX entrando na era moderna quando as verdadeiras riquezas da Terra do Sol Nascente estão sendo deixadas de lado em prol das novidades do Ocidente.
A Cerimônia do Chá é uma delas, e nesse romance, ao lado das mudanças e adaptações por que têm de passar uma das casas mais tradicionais de chá do Japão, a da família Shin, aprendemos, com muita sutileza um pouco desse ritual e do quão é importante a delicadeza nesse mundo deficiente de sutilezas.
                 
 
"O tema, apesar de misteriosamente comovente, não era inacessível: cada gesto ganhava forma clara sob a luz da atenção dela. Naquele dia, no aposento de Koito junto ao jardim, quando não recebi críticas, pela primeira vez, sentienquanto executava o, temae, um pouco da solenidade e da graça que sentia quando o observava. Senti a precisão austera da coreografia, e minha voluptuosa entrega a ela.. Senti o desejo de dar algo precioso, a tigela de chá."

          Karla Julia

Marcadores: ,

terça-feira, 11 de setembro de 2018

POESIA

ANDATE E RITORNI

Arrivare comme quelli che partono 
lasciando tutto in dietro
in un volo d' obblio
in cerca di un nuovo tempo

l 'arrivo come se fosse partenza
aspettando l'innatteso
cuore che batte nel petto
come se trovasse le persone del mio passato

difficile è l'arrivo
quando la speranza è stata ormai
risolta, rovesciata 
e sotratta alla Dogana
senza permesso di uscita

speranza perduta

difficile è l'arrivo
quando la partanza è divenuta congedo
dai nostri cari, che a noi,
ormai no possono aspetare più

e ci viene ancora una voglia di partire e sempre
io, che dal tanto sentire
ho deciso di andarmene
sono divenuta cittadina del mondo
in una eterna partanza in cerca della
Terra Promessa

perché tornare
se soltanto nella partenza mi sento in paci?

Karla Julia
  

Foto:Villa Borghese
Roma

Marcadores:

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

PENSAMENTO DO DIA

"No ho paura della morte
ma ho paura dell'amore."
           Alda Merini

    "Não tenho medo da          morte, tenho medo é                   do amor."
         Alda Merini
                 
                   Davi   
                       de Bernini
    Galleria Borgues   Foto: Karla Julia

Marcadores: , ,

sábado, 8 de setembro de 2018

QUERIDOS AMIGOS

BOA TARDE

Deixo-lhes fotografias da casa onde viveu por 15 anos, um verso de uma pessoa que soube ser tantas, como ninguém mais
e um certo perfume de orquídeas no ar...


" O meu caminho é pelo infinito fora até chegar ao fim"
Fernando Pessoa




  fotos e artigo
  Karla Julia

       Casa Fernando Pessoa
      Campo de Ourique - Lisboa

Marcadores: , ,

CURIOSIDADES LITERÁRIAS

   A ORIGEM DOS CONTOS   
DE FADAS:"A BELA ADORMECIDA"
                   

As histórias contadas as crianças eram apimentadas, com cenas fortes e violentas, até que alguns séculos depois, surgiram alguns escritores  como Perrault e posteriormente os Irmãos Grimm que começaram a pegar essas histórias contadas oralmente pelo povo e começaram a modificar o enredo para transformá-las em histórias realmente infantis, os famosos contos de fadas com finais felizes como conhecemos hoje em dia.

Hoje vou falar especificamente sobre a origem da história "A Bela Adormecida", espero que vocês curtam...boa leitura:

Em relatos franceses e espanhóis do século 14 ao 16, os detalhes
de A Bela Adormecida arrepiam. O príncipe encantado já é casado e viola a princesa durante o sono. Ela tem dois filhos com ele, ainda dormindo, e é despertada não por um beijo, mas pela mordida de um dos filhos enquanto os amamenta. A sogra do príncipe descobre tudo e tenta matar e comer a princesa e as crianças bastardas.
No início do século 17, o italiano Giambattista Basile escreveu a Pentameron, com sua versão para A Bela Adormecida, intitulada O Sol, a Lua e a Tália. A princesa chamava-se Tália, e seus filhos Sol e Lua. Ela dorme após espetar o dedo, e é acordada quando o filho suga a farpa. A versão se assemelha à da tradição oral, com a diferença de que é a esposa do príncipe que manda matar a princesa. Já no fim do século 17, em Contos da Mamãe Gansa, Perrault publica A Bela Adormecida no Bosque, em que um príncipe, belo e solteiro, desperta a princesa. A versão popular hoje é dos irmãos Grimm, do século 19. A princesa pica o dedo no fuso, dorme cem anos e acorda com um beijo do príncipe encantado.

O filme da Disney foi lançado em 1959 e é baseado na versão de Perrault. A maior parte da trilha sonora do filme são adaptações das canções do balé de Tchaikovsky.

Abaixo segue a versão do italiano Giambattista Basile:

"Uma farpa de linho entra sob a unha da princesa Tália e ela imediatamente cai morta. O rei coloca sua filha em uma cadeira de veludo do palácio, tranca e parte para sempre, pra apagar a lembrança de sua dor. Algum tempo depois, um príncipe que estava por ali caçando, encontra Tália. Ele apaixona-se por sua beleza mas como não consegue acordá-la, a estupra e vai embora. Nove meses depois Tália dá a luz a gêmeos, Sol e Lua, mas continua adormecida. Um dia um dos bebês não encontra seu seio para mamar e coloca a boca no dedo da mãe e suga. Suga com tanta força, que extrai a farpa e faz despertar.

Um dia o príncipe lembra de “sua aventura” com Tália e resolve ir visitá-la. A esposa do rei descobre o caso e manda cozinhar as duas crianças e serví-las para o rei. Mas o cozinheiro prepara cabritos no lugar. Depois a rainha manda buscar Tália para lançá-la ao fogo, mas o p príncipe chega e lança a própria esposa no lugar de Tália. Ele casa-se com Tália e vive com ela e seus filhos..."

                 Karla Julia

Marcadores: ,

terça-feira, 4 de setembro de 2018

MUSEU HISTÓRICO NACIONAL

Poema Réquiem

acabaram 
com o museu do ontem

país errante
sem passado 
sem memória

pois contentem-se com aquele, o do amanhã

cinza
como as cinzas
daquele que agora jaz.
  


Karla Julia

Marcadores:

MACHADO DE ASSIS - A POETICA DA MODERAÇÃO

Ontem, na sede do PEN clube do Brasil - RJ, o professor Alcmeno Bastos   deu uma palestra sobre a  poética da moderação na obra de Machado de Assis.
                           


Uma excelente oportunidade para aprendermos sobre a admiração  de Machado por José Alencar e como os dois ajudaram na apresentação de Castro Alves ao círculo literário do Rio de Janeiro.
                 

O prof.Alcmeno lançará seu livro " Machado de Assis - A Poética da Moderação", que nos traz uma nova visão  da crítica machadiana no dia 25 de setembro no Café Lamas.

          Karla Julia

Marcadores: ,

domingo, 2 de setembro de 2018

ESSA VAI PARA MEU ORQUIDÁRIO!

Do seu jardim
diretamente para esses campos!
Obrigada, querida Olivia Fagundes!


Marcadores: