domingo, 22 de janeiro de 2012

Minha Paz


Minha paz

Tão forte é o que sinto,que dessa vez não sei se eu domino
Ah! Eu não domino o que sinto por ti...
e quando dizes tudo aquilo,aí é que perco as forças
e meio criança e louca, abro a porta do meu colo pra você dormir
...
Pra você no meu colo dormir...

Tão forte é o que sinto,que já nem sei o que faço
se desisto ou se prossigo,mas quando tu me chamas
esqueço do orgulho e deito na cama
e aí somos nós dois outra vez,mais uma vez...

E assim vamos seguindo, te quero em meu caminho
te quero ver sempre sorrindo, para eu poder dormir em paz
preciso da tua alegria, que me veste fantasia

Nosso amor é bonito demais...

Karla Julia

Marcadores:

Dica de filme :“A Separação”


O filme que ganhou o Globo de Ouro desse ano, é iraniano e simplesmente espetacular.Ele se passa no Irã, e conta a história da separação de Nader (Peyman Moaadi), um marido nem um pouco machista e super compreensivo e Simin (Leila Hatami),que quer deixar o país porque quer que sua filha não cresça no Irã. Nader tem um pai que sofre de Alzheimer em estágio avançado, e e é por causa disso que ele não quer deixar o país e abandoná-lo. Então, ele se vê obrigado a contratar uma diarista - sem o consentimento de seu marido, e grávida - para tomar conta de seu pai enquanto trabalha.
Diante desse fato uma série de acontecimentos seguidos de problemas caem sob a família.
O filme é extremamente sensível, de uma sutileza, e mostra um homem, no Irã de onde que
sabe ser sereno, e respeitar o tempo de maturação das despedidas. E que reconhece o valor
do carinho e da companhia da família para um idoso.
Ponto para o cinema iraniano.
Um filme merecedor de todos os prêmios.






Karla Julia

Marcadores: ,

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Sem Hora pra Voltar

Sem Hora pra Voltar

Vem cá, mas agora é pra ficar
me dá o teu sorriso de criança
o teu lugar é aqui, nem adianta fugir
... não vês que sou a única que te ama?

Se for preciso, por ti, mergulho no escuro
submeto-me a distâncias e perco tempo de vida
Minha alma órfã, não sente mais a brevidade do tempo
apenas sente que teu lugar é aqui, chamado Nós Dois

Vem então, que preciso acabar com essa dor
Enquanto só estou, o que parece grande,
é na realidade estreito demais
e a dor de um instante se prolonga uma eternidade.

Só falta te ver agora, vem, sem demora
com tuas mãos que fazem de meu corpo doce instrumento
lavando minh’alma com puro sentimento
mas fica até o dia amanhecer

e dessa vez,perde a hora...

Karla Julia

Marcadores:

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Obrigada Carmen Cecília pela belíssima homenagem!

POETAS BRASILEIROS BRINDAM O ANO NOVO COM POEMAS
Nesse primeiro vídeo poetas dos estados do Amazonas,Pará,Ceará,Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Brasília brindam com poemas e prosas sobre o Ano Novo o ano de 2012 que se inicia...

Os outros estados terão continuidade em outros vídeos...


Paz, Saúde e Sucesso para todos!Carmen Cecilia


Blog:http://carmemceciliapoemas.blogspot.com/

Marcadores: , , ,

Instantes

Instantes 


Antes da tua chegada, argumentos me cansavam
Sentia que minha alma monologava mais do que falava
       e mesmo em dias claros, o sol, para mim, já nem brilhava. 


Antes da tua chegada, escrevia porque ninguém me ouvia
E minhas entrelinhas eram descampados onde palavras doíam demais para habitá-los
Agora, um pequeno instante contigo é desejo líquido e certo.


É banho de cascata, é estojo novo de lápis de cor e noite ensolarada.
É carícia no seio, o prazer de te esperar e saber que vais chegar
São tuas mãos, teus olhos brilhando e nossa sintonia inexplicável.

O presente que trazes chama-se...felicidade!

Karla Julia

Marcadores:

Last Tango in Paris

-Você e eu não temos nome.
 Eu não tenho nome. Não há nomes. Nós não temos nenhum nome.
- Você está louco?
- Talvez seja, mas eu não sei nada sobre você. Eu não quero saber onde você vive, ou onde eles estão. Eu não sei nada sobre nada. Você entende?
- Você me dá medo.
- Nada. Você e eu nos encontraremos aqui sem saber nada sobre o que nos acontece lá fora, ok?
- Mas por quê?
- Porque ... você não precisa saber aqui o nome, não é necessário. Você não entende? Estamos aqui para esquecer, esquecer tudo, absolutamente tudo. As pessoas esquecem o que sabemos, tudo o que fizemos. Vamos esquecer onde vivemos, esquecer tudo.
-Não posso, você é?
- Não sei. Você tem medo?
- Não.

" O Último Tango em Paris "



Marcadores: , ,